Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2013

Página Inicial>Mundo

Técnico da seleção francesa depõe em audiência na Assembléia Nacional

Raymond Domenech é ouvido nessa quarta-feira, pela Assembleia Nacional. A audiência avalia a crise no futebol francês.

Publicada: 30/06/2010 - 08h24m|Fonte: RFI|Versão para impressão|

  • Técnico da seleção francesa, Raymond Domenech, e o presidente da Federação Francesa de Futebol, Jean
  • Técnico da seleção francesa, Raymond Domenech, e o presidente da Federação Francesa de Futebol, Jean
    Foto: Reuters
A audiência estava prevista para ser pública, mas atendendo a um pedido da Federação, foi, finalmente, realizada a portas fechadas. O fiasco da seleção francesa na África do Sul tornou-se um assunto de Estado. Após os três jogos da primeira rodada, a equipe francesa terminou em último lugar do seu grupo, atrás do México, do Uruguai e da África do Sul. A campanha incluiu duas derrotas, um empate e apenas um gol marcado.

No entanto, para o governo, pior que o fraco desempenho esportivo é a imagem arranhada do grupo. A troca de insultos no vestiário entre o atacante Nicolas Anelka e o técnico Domenech estampou as manchetes dos principais jornais franceses. O clima de rivalidade entre os jogadores e até a recusa de treinar após a exclusão de Anelka do grupo foram outros fatos que ajudaram a sepultar a reputação da seleção.

Ontem, a ministra da Saúde e dos Esportes, Roselyne Bachelot, prestou declaração à comissão parlamentar e fez sua avaliação sobre os problemas do time na Copa da África do Sul. Para a ministra, o individualismo dos jogadores foi um dos grandes obstáculos da campanha dos « Bleus ». "Vi que os jogadores estavam desconectados da Federação e da equipe técnica », disse Bachelot.

Em sua audiência, Bachelot disse ainda que visitou a concentração da seleção francesa no ápice da crise, logo após a exclusão de Anelka. «Vi que o técnico [Raymond Domenech] estava em dificuldade e que ele não tinha mais autoridade sobre sua tropa. Vi, enfim, que os responsáveis da federação estavam desorientados ». A ministra, entretanto, disse que não pressionou o presidente da FFF para que ele renunciasse. A Fifa emitiu um comunicado criticando a interferência estatal em assuntos esportivos.

Nesse encontro com os parlamentares, a expectativa é que tanto Domenech quanto Escalettes sejam mais explícitos em relação aos problemas que afetam a seleção francesa. Ao longo de toda a Copa, Domenech sempre foi evasivo quando questionado pela imprensa sobre as dificuldades de gestão do grupo. E, na entrevista concedida depois da eliminação, o técnico evitou responder às questões mais polêmicas.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook