Segunda-Feira, 27 de Outubro de 2014

Página Inicial>Mundo

Operações militares lançadas por Kiev contra resistência já causaram ao menos 10,500 mortos na Icrânia

Cada ataque de artilharia ucraniana causa dezenas de vítimas entre a população civil. Os milicianos quase sempre conseguem se proteger em abrigos devido a sua rápida mobilização.

Publicada: 01/08/2014 - 15h31m|Fonte: Ria Novosti|Versão para impressão|

  • Operações militares já causaram 10.500 mortos na Ucrânia
  • Operações militares já causaram 10.500 mortos na Ucrânia
    Foto: RIA Novasti, Mikhail Voskresen
O líder do Governo popular das províncias de Donesk e Lugansk, Pável Gúbarev, declarou hoje (01/08/2014) que desde o início das operações lançadas por Kiev, contra o leste do país morreram ao menos 10,500 pessoas.

"Por nossa parte durante o conflito morreram ao menos 2.000 pessoas, sendo que 60% eram civis. Cada ataque de artilharia causa dezenas de vítimas entre a população. Os milicianos quase sempre ficam a salvo, porque se mobilizam com facilidade e se escondem em refúgios", completa Gúbarev.

Gúbarev estimou em 8.000 o número de perdas do exército e da Guarda nacional. Também afirmou que o governo ucraniano apresenta números mais baixos do que são na realidade. Apresenta como desaparecidos os soldados abatidos.

"Por exemplo, foi liquidada em Shajtiorsk, a 25º Companhia de Brigada Aerotransportada. As autoridades informaram apenas 21 mortos, sendo que o número real foi muito maior", concluiu Gúbarev.

Anteriormente, a chefe do Comitê Regional das Mães de Soldados, Irina Popova, denunciou que o exército diminui os números sobre suas baixas, apresentando os mortos como desertores para não pagar indenizações as famílias.

O comandante do batalhão de "Donbás" disse a pouco que o exército perde de 7 a 8 sodados por dia. Enquanto milicianos informaram via Twitter que os militares perderam somente entre o dia 9 à 15 de julho 1.600 soldados.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook