Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2013

Página Inicial>Mundo

No Bahrein, governo sinaliza que libertará opositores para tentar atenuar conflitos

Há dez dias, o Bahrein enfrenta protestos diários. Os manifestantes, a maioria xiita, faz críticas à monarquia sunita.

Publicada: 24/02/2011 - 06h19m|Fonte: Agência Telam|Versão para impressão|

Sob pressão de manifestantes contrários à monarquia absolutista, o xeque Hamad bin Isa Al Khalifa, do Bahrein, sinalizou que pretende libertar cerca de cem xiitas da oposição na tentativa de conter os protestos. Ontem (23), pelo menos 50 dissidentes políticos foram libertados, segundo as autoridades policiais.

O perdão real foi estendido a 23 pessoas processadas, desde outubro do ano passado. A maioria é acusada de conspirar contra a monarquia. De acordo com um advogado que defende alguns dissidentes, as autoridades se comprometeram a perdoar outros condenados.

Há dez dias, o Bahrein enfrenta protestos diários. Os manifestantes, a maioria xiita, faz críticas à monarquia sunita. Para os manifestantes, os xiitas sofrem discriminação no país por parte das autoridades. Eles reclamam por mais oportunidades de emprego e melhor qualidade de vida.

De acordo com dados não oficiais, as manifestações causaram pelo menos oito mortos e vários feridos. Houve confrontos entre manifestantes e policiais. Para Mattar Ibrahim, líder do principal partido xiita Al Wefaq, há indicações de abertura política no país, mas os dissidentes são mantidos presos ao lado de criminosos comuns.

"O ponto principal é a iniciativa que nós esperamos para uma verdadeira reforma política. Até agora, eles [os integrantes do governo] não prometeram nada. Eles dizem que estamos perdendo nosso tempo", afirmou Mattar.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook