Sábado, 17 de Agosto de 2013

Página Inicial>Mundo

Nicolas Sarkozy manda polícia desbloquear depósitos de combustível

O presidente francês deu ordem para a polícia desbloquear todos os depósitos de gasolina ocupados em protesto contra a reforma da previdência na França.

Publicada: 20/10/2010 - 13h53m|Fonte: RFI|Versão para impressão|

  • Nesta madrugada, policiais dissiparam manifestantes que bloqueavam acessos a três depósitos de óleo
  • Nesta madrugada, policiais dissiparam manifestantes que bloqueavam acessos a três depósitos de óleo
    Foto: Reuters
O presidente francês deu ordem para a polícia desbloquear todos os depósitos de gasolina ocupados em protesto contra a reforma da previdência na França. Ele também reafirmou que a reforma da aposentadoria vai ser concluída, apesar das manifestações que continuam em todo o país.

As manifestações contra a reforma da aposentadoria continuam na França nesta quarta-feira, no dia seguinte à greve geral que, pela sexta vez desde o início de setembro, paralisou o país.

Novos incidentes entre a polícia e jovens foram registrados essa manhã, principalmente no centro de Lyon. Manifestantes bloqueiam linhas de trem, depósitos de petróleo e 12 refinarias em todo o território, além dos acessos aos aeroportos do interior do país, de Nantes, Toulouse e Clermont-Ferrand.

Alguns passageiros são obrigados a deixar seus veículos para ir a pé até os terminais das companhias aereas. Manifestantes impedem inclusive o abastecimento de aviões, que são impedidos de decolar.

Nesta quarta-feira, foi cancelado um quarto dos voos domésticos no aeroporto de Orly, no sul de Paris. Em Marselha, os três túneis urbanos também foram fechados mais cedo por grevistas. Segundo a companhia ferroviária nacional, 30% das viagens em trens de grande velocidade foram canceladas, ou seja, um de cada três trens previstos para hoje não está em serviço. Já o sistema de transporte de metrô e ônibus na capital funciona quase normalmente.

O abastecimento de combustível nas bombas de gasolina de todo o país continua comprometido, com escassez em 4 mil postos, e as forças de ordem já estão agindo para acabar com os bloqueios a depósitos de petróleo e refinarias. Nesta madrugada, policiais dissiparam manifestantes que bloqueavam os acessos a três depósitos de gasolina no oeste do país. Mas o bloqueio continua no maior depósito de petróleo no sul da França, que fornece querosene os aeroportos de Nice, Marselha e Lyon, assim como bases militares aereas da região.

Votação do projeto de lei de reforma da aposentadoria

O porta-voz do governo francês, Luc Chatel, reclamou hoje da postura dos grevistas. "Manifestar é uma coisa, bloquear é outra. O governo vai impedir que o país seja bloqueado", disse o porta-voz. O motivo de tanta confusão, a reforma da aposentadoria continua sendo analisada hoje no Senado e a aprovação do texto está prevista para amanhã, caso não haja novas obstruções por parte dos senadores socialistas.

Para ser adotado definitivamente, o projeto ainda volta para análise de deputados e senadores. Em resposta às reclamações sobre o desemprego de pessoas com idade mais avançada, foi adotado ontem um dispositivo que prevê uma ajuda financeira aos desempregados com mais de 55 anos num total de 55 milhões de euros, o que deve beneficiar 35 mil pessoas.

Impopularidade recorde de Sarkozy

A oposição não comemorou a decisão, dizendo que isso não resolve o problema do desemprego de trabalhadores mais velhos. Mas o presidente Nicolas Sarkozy reafirmou hoje que a reforma será mantida. Diante da inflexibilidade do governo, uma pesquisa publicada ontem mostra que o líder francês está batendo recordes de falta de popularidade entre os franceses.

Sarkozy é o mais impopular de todos os presidentes que governaram a França nos últimos 30 anos. Este mês, a desaprovação de seu governo chegou a 69%, segundo o instituto que reúne as entidades BVA-Orange-L'Express-France Inter. Apenas 30% dos entrevistados têm uma boa opinião sobre o líder francês.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook