Segunda-Feira, 27 de Outubro de 2014

Página Inicial>Mundo

Israel usa bomba de fragmentação com dardos de aço contra Gaza

Segundo declaração do presidente palestino Mahmud Abbás, em 13 dias a ofensiva israelense em Gaza já contabiliza, 438 palestinos mortos e mais de 3.000 feridos.

Publicada: 21/07/2014 - 01h54m|Fonte: Com informações da RT|Versão para impressão|

  • Bombas de fragmentação deste tipo são consideradas de uso proibido em conflitos como o de Gaza
  • Bombas de fragmentação deste tipo são consideradas de uso proibido em conflitos como o de Gaza
    Foto: © libertytreecollectors.com
Uma organização de Direitos Humanos na Palestina (CPDH) acusa o exército israelense de usar em sua operação em Gaza bombas de fragmentação que espalham milhares de dardos de aço capazes de perfurar paredes aumentando assim o número de vítimas.

O CODH asegura que na última quinta-feira o governo de Tel Aviv lançou seis mísseis com dardos contra a localidade de Juzaa, Khuzaa, a leste de Khan Younis em Gaza. Um homem de 37 anos foi ferido no peito. A ONG forneceu ao jornal britânico um foto destes dardos.

Um porta-vos do exército israelense no desmentiu o uso deste tipo de armamento no conflito dizendo que "Como norma, o exército israelense só utiliza armas que são consideradas legais, segundo o Direito Internacional e de uma maneira absolutamente coerênte com as normas de um conflito armado", insiste o porta-voz.

O centro israelense BTselem de informações para os Direitos Humanos nos territórios ocupados, explica que estes dardos de aço, de mais ou menos 3,7 cm de comprimento, alcançam a velocidade similar a de uma bala. Este tipo de armamento não é ilegal do ponto de vista do Direito Internacional Humanitário, mas o "BTsalem" adverte que "outras normas do Direito Internacional convertem em ilegal o seu uso na Faixa de Gaza. " Um dos princípios mais fundamentais é a obrigação de distinguir aqueles que estão envolvidos na luta e evitar ferir os que não estão. Seguindo este princípio é proibido a utilização imprecisa que é susceptível de causar ferimentos a civis", argumenta.

Em 2002 o Supremo Tribunal israelense deu luz verde para a utilização deste tipo de armamento de fragmentação com dardos de aço, que o exército hebreu tem utilizado nos últimos anos em Gaza e no Líbano.

No final de 2008 e começo de 2009, Israel foi criticado por usar fósforo branco durante a ofensiva em Gaza. Em um primeiro momento Israel negou a utilização de bombas com fósforo branco, mas tarde admitiu a sua utilização embora afirmando que utilizou apenas para criar uma "cortina de fumaça" Observadores dos Direitos Humanos consideram o uso destes tipos de munições como crime de guerra.

Segundo declaraçao do presidente palestino Mahmud Abbás, em 13 dias a ofensiva israelense em Gaza já contabiliza, 438 palestinos mortos e mais de 3.000 feridos.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook