Segunda-Feira, 01 de Julho de 2013

Página Inicial>Mundo

Iraque: 30 mil presos vivem sob tortura

Anistia Internacional responsabilizou soldados estudunidenses e forças de segurança iraquianas por abusos

Publicada: 21/09/2010 - 09h36m|Fonte: Brasil de Fato|Versão para impressão|

  • Foto: imagem que denunciou abusos de soldados americanos contra presos iraquianos há alguns anos.
  • Foto: imagem que denunciou abusos de soldados americanos contra presos iraquianos há alguns anos.
20/09/2010

Jorge Américo
Radioagência NP


Anistia Internacional responsabilizou soldados estudunidenses e forças de segurança iraquianas por abusos.

A tortura é a prática mais comum utilizada para a formulação de provas contra presos no Iraque. A denúncia foi feita pela Anistia Internacional, que estima em cerca de 30 mil o número de pessoas presas sem julgamento. A organização responsabilizou soldados estudunidenses e forças de segurança iraquianas pos essas práticas abusivas.

Um relatório sobre prisões ilegais e tortura no Iraque, divulgado no dia 13 de setembro, revelou que as violações de direitos humanas ocorrem de maneira sistemática. Também se tornaram comuns as prisões arbitrárias, sem direito à defesa. Os métodos de tortura mais utilizados são as descargas elétricas, tentativas de estupro, mutilações e golpes com tubos e cabos.

No final de agosto, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou a retirada total de suas tropas do Iraque até o final de 2011. A tutela de milhares de presos já foi transferida para o governo iraquiano.

O Iraque foi invadido em 2003, sob o comando do ex-presidente George W. Bush. A justificativa era a necessidade de eliminar um possível arsenal de armas de destruição em massa que jamais foi encontrado.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook