Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2013

Página Inicial>Mundo

Honduras: Frente de Resistência Popular elabora agenda de mobilização para 2010

A Frente Nacional de Resistência Popular (FNRP) é uma das organizações que está à frente das mobilizações.

Publicada: 22/02/2010 - 08h42m|Fonte: Natasha Pitts - Adital|Versão para impressão|

  • Honduras: Frente de Resistência Popular elabora agenda de mobilização para 2010
Perto de completar oito meses após o golpe de Estado que tirou do poder o presidente hondurenho Manuel Zelaya, as forças de resistência continuam a se mobilizar. Com a realização das aleições presidenciais, a expectativa era de que o golpe fosse esquecido e o país voltasse à normalidade constitucional. Contudo, a agenda de atividades de 2010 já está organizada, a fim de permitir que a população de Honduras continue a resistir.

A Frente Nacional de Resistência Popular (FNRP) é uma das organizações que está à frente das mobilizações. Neste momento,as atividades estão organizadas no sentido de combater o atual regime político militar e lutar por uma nova proposta política eleitoral que garanta a plena participação popular. No topo das demandas está a convocação da Assembleia Nacional Constituinte a fim de aprovar uma Constituição popular, justa e inclusiva.

Durante todo o mês de fevereiro e março, a Coordenação Nacional Provisional passará por todas as regiões de Honduras com o objetivo de eleger a Coordenação Departamental e definir a data das assembleias municipais para eleger as coordenações municipais.
Ainda em março, deve acontecer o Segundo Encontro pela Refundação de Honduras. Convocado pela pela Frente de Resistência e pelo Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH), a reunião pretende simular a realização da aguardada Assembleia Nacional Constituinte.

Também está prevista para o próximo mês, a elaboração do Plano Nacional de Formação Política. De abril a junho se realizará o primeiro ciclo do Plano de Formação ao mesmo em que serão consolidados todos os núcleos de resistência nos bairros hondurenhos.

Lembrando um ano do golpe, em 28 de junho, a Frente Nacional de Resistência Popular realizará uma consulta em todo país para a convocação da Assembleia Constituinte. Já os meses de julho e setembro serão marcados pelas eleições dos representantes municipais, departamentais e nacionais. Em 15 de setembro, a FNRP realizará a primeira Assembleia Nacional de delegados da Resistência. Na ocasião, será definido o programa político e a Coordenação Nacional.

Mesmo com as perseguições e violências que permanecem após a posse de Porfirio ‘Pepe’ Lobo, serão realizadas durante todo o ano de 2010, junto a Manuel Zelaya e sua equipe, encontros de consolidação e afirmação das forças que compõem a Frente. Durante os encontros, as organizações em resistência deverão reforçar o posicionamento de repúdio à continuidade do governo de fato, encabeçado pelo atual presidente Pepe Lobo.

Todas as atividades e mobilizações propostas pela Frente de Resistência e demais entidades contrárias ao golpe convergem para a luta pela liberdade e resgate da dignidade do povo hondurenho. Após o golpe militar e a instalação do governo de fato, liderado por Roberto Micheletti, hondurenhos e hondurenhas sofrem inúmeras violação de seus direitos, além de terem sido discriminados, agredidos e assassinados por suas escolhas.

Para que os horrores cometidos durante o golpe não fiquem impunes nem caiam no esquecimento nacional e mundial, a Frente está comprometida com a realização, pelo menos uma vez ao mês a cada dia 28 , de mobilizações de luta pela Assembleia Nacional Constituinte e para a condenação da ditadura.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook