Segunda-Feira, 01 de Julho de 2013

Página Inicial>Brasil

Holanda 2 x Brasil 1:"Desastre e injustiça no Nelson Mandela Bay", diz Juca Kfouri

Dunga não merecia a derrota num jogo como o de hoje e, como na Olimpíada de Pequim, não conseguiu o que queria.

Publicada: 02/07/2010 - 14h53m|Fonte: Redação|Versão para impressão|

  • Holanda 2 x Brasil 1:
Em seu blog no UOL, o jornalista Juca Kfouri escreve matéria detalhada, relatando a atitude dos jogadores brasileiros. Do blog do Juca:

"Quando o primeiro tempo terminou no quente estádio Nelson Mandela Bay os holandeses devem ter agradecido aos céus por estar só 1 a 0, em belo gol de Robinho, aos 10, ao receber um passe de Felipe Melo que Gérson, o Canhotinha de Ouro da Copa de 1970, assinaria com gosto.

Porque a Seleção Brasileira chegou a ter momentos simplesmente espetaculares nos primeiros 45 minutos, a exemplo, aliás, do que Dunga havia previsto, ao falar em futebol bem jogado nas partidas contra os holandeses.
Antes do gol mesmo, em bela trama, Daniel Alves estava impedido, razão pela qual o gol brasileiro de Robinho foi bem anulado.

Mas depois do gol, não só Kaká sofreu pênalti cometido por De Jong, aos 8, como o mesmo Kaká, aos 30, complementando uma linda triangulação levou o goleiro Stekelenburg a fazer excelente defesa.

Kaká disputou a primeira metade do jogo intensamente e só apanhou menos que Luís Fabiano, que mais pareceu um boi de piranha que um centroavante, missão que cumpriu com valentia.
O pé esquerdo de Robben era marcado impiedosamente, ora por um, ora por outro, ora por mais um defensor brasileiro, de maneira exemplar.

Mais uma vez, enfim, o time brasileiro contra cachorro grande mostrava ser maior, coisa que virou hábito na gestão Dunga, certamente porque para tentar jogar permite-se que o Brasil jogue.

No último minuto, depois que Juan mandou por cima o que poderia ter sido o segundo gol, Maicon ia ampliando num lance que lembrou o famos quarto gol de Carlos Alberto Torres no fecho da Copa de 70, segunda referência aqui a um momento mágico do futebol, porque a seleção canarinho assim fez por merecer.

Aliás, neste lance, o goleiro desviou para escanteio e a fraca arbitragem japonesa não viu.

E Robben, ainda foi pego como falso malandro por Daniel Alves, em seu melhor momento porque não estava bem, ao querer enganar os brasileiros numa cobrança de escanteio.

E o Brasil ainda teve 53% de posse de bola.

E o segundo tempo veio.

Logo aos 8, injustiça pelo ar.

Sneijder cruzou na área, Júlio César saiu em falso e Felipe Melo desviou para dentro do gol.

A isso, em futebol, se dá um nome: Brasil x Holanda, jogo de cachorro de grande. Ficaria maior?

Prudente, porque virou guerra, Dunga tirou Michel Bastos, com amarelo, e botou Gilberto em campo, aos 16.

A superioridade brasileira virou equilíbrio.

Tudo poderia acontecer.
E aconteceu!

Na cabeça de Sneijder, aos 22, em cobrança de escanteio por

Robben: 2 a 1.

Era hora de reação, pois pela primeira vez a Seleção estava em desvantagem na África do Sul.

A exemplos das Copas de 1986 e 1990, quando o Brasil foi eliminado, pela Argentina e pela França, em suas melhores apresentações, a Holanda despachava os pentacampeões mundiais.

Mas havia tempo se houvesse cabeça, coisa que Felipe Melo, sabidamente não tem.

E depois de pisar Robben, o brasileiro foi bem expulso aos 28.
Se lembrou Gérson em 70, lembrou a expulsão de Luís Pereira em 74 também.

Ficou praticamente impossível.

Robben enlouqueceu o time nacional.

A maioria holandesa fazia a festa no Nelson Mandela Bay e Dunga trocava Luís Fabiano por Nilmar, uma tentativa correta de trocar a força de um pela habilidade de outro num momento de inferioridade técnica e numérica.

A Holanda estava sempre mais perto do terceiro gol do que o Brasil do segundo.

Notas:
Júlio César falhou no primeiro gol: 5;
Maicon fez o que pôde: 6,5;
Lúcio e Juan, dois gols por cima: 5;
Michel Bastos saiu-se melhor do que a encomenda: 6,5;
Gilberto Silva trabalhador como sempre: 6;
Felipe Melo, do céu ao inferno: 4;
Daniel Alves, a maior decepção da Copa: 4
Kaká, muito bem no primeiro tempo, caiu no segundo: 6,5;
Robinho, exatamente como Kaká, talvez um pouco acima: 7;
Luís Fabiano, um leão sem dentes: 6;
Nilmar, nada pôde fazer: 5

Dunga não merecia a derrota num jogo como o de hoje e, como na Olimpíada de Pequim, não conseguiu o que queria, embora tenha brilhado depois em tudo que disputou. Uma pena: 6

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

  • Comentário

    01

  • Porseverina b silva (maua - SP)02/07/2010 - 18h06m

    o brasil foi injustiçado o juiz não davanenhuma falta ao nosso favor teve uma grande colaboração do juiz pela derrota eu acho q o dunga é um pouco teimoso deveria ter feito subistituições e não o fez parabéns jogadores especialmente robinho

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook