Sábado, 29 de Março de 2014

Página Inicial>Brasil

Governo Alckmin reage a bala contra nova terapia para dependentes de crack

Polícia disparou há pouco contra participantes do programa Braços Abertos, em provocação aberta. Conservadores tentam calar projeto humanitário pela força

Publicada: 27/01/2014 - 09h21m|Fonte: http://outraspalavras.net/|Versão para impressão|

  • Governo Alckmin reage a bala contra nova terapia para dependentes de crack
Por Bruno Torturra, em sua página no Facebook

Acabo de receber a informação de que o governo de São Paulo de Geraldo Alckmin mandou a Polícia Militar para dispersar através da força a Cracolândia.
A retomada da violência de estado para lidar com a questão está em curso nesse momento. Balas de borracha, bombas de gás e feridos.

Toda essa brutalidade no meio de um processo delicado, pacífico e baseado em reconquistar a confiança dos usuários no poder público e abrir uma janela para o diálogo com o programa “De Braços Abertos” que a prefeitura de Haddad mal começou a implementar.

Além da intolerável barbárie, típica e ineficaz, é bom avisar que isso tem a ver com sabotar as chances de sucesso de uma política que foi bem recebida e é oposta à abordagem legalista e repressora e aos interesses políticos dos tucanos.

Revoltante. E mais um exemplo de como é preciso escancarar não apenas a diferença brutal que existe entre as duas visões políticas que disputam a capital. Mas, em poucos meses, vai disputar o Palácio dos Bandeirantes.

E antes que eu me esqueça. Alckmin é um dos políticos mais sujos e desumanos do país. E dos mais imunes à revolta e às críticas da opinião pública.

Não estou em São Paulo. Por isso peço a todos que puderem que corram para lá, registrem e relatem o que está acontecendo. Sei que representantes da Secretaria de Direitos Humanos da cidade estão a caminho. Aguardo novas informações. E tento atualizar vocês por aqui assim que possível.

II.

Ainda sobre a ação violenta da PM hoje na Cracolândia.

Apurando melhor, a coisa só piora.

Nem a prefeitura, nem a Guarda Civil foram avisadas sobre a ação do governo que ocorreu no início da tarde. A PM começou uma operação para prender usuários. Utilizou bombas e balas de borracha toda vez que havia algum tipo de resistência. Assistente sociais e agentes do programa “De Braços Abertos” foram pegos no meio do fogo cruzado. Agora há pelo menos 8 hospitalizados, vítimas da violência policial.

Funcionários da prefeitura e responsáveis pelo programa, incluso o secretário de segurança da cidade, estão perplexos. Resumindo: violência física, atropelamento institucional, e sabotagem política clara.

Isso não pode passar batido

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook