Sábado, 17 de Agosto de 2013

Página Inicial>Mundo

Forças especiais da dinamarca libertaram navio sequestrado no Golfo de Aden

"Mas este é o primeiro caso em que um navio de guerra foi capaz de enviar forças para impedir um sequestro quando estava em andamento."

Publicada: 05/02/2010 - 19h20m|Fonte: AL Jazeera|Versão para impressão|

  • Os piratas somalis apreenderam três navios neste ano e estão mantendo mais de 180 tripulantes reféns
  • Os piratas somalis apreenderam três navios neste ano e estão mantendo mais de 180 tripulantes reféns
    Foto: AFP
Dinamarquês das forças especiais da Marinha libertaram todos os 25 membros da tripulação de um navio de carga esloveno capturado por piratas somalis no Golfo de Aden, informou um porta-voz naval da UE.

Um sinal de socorro da Ariella foi captado por um navio de guerra indiano na sexta-feira que foi retransmitido para um avião francês que, em seguida, avistou os piratas e alertou um navio dinamarquês que estava nas proximidades.

Os dinamarqueses se aproximaram do Ariella em botes e escalando a lateral do navio conseguiram libertar a tripulação que estavam trancados em uma sala segura.

Em seguida os militares capturaram os sequestradores.

Navios de guerra normalmente não costumam intervir em seqüestros por causa do perigo de atingir as tripulações pelo fogo cruzado.


"Tem havido muitos casos em que houve excelente cooperação entre três, quatro ou mesmo cinco nações com o objetivo de ajudado a impedir um ataque de piratas.

"Mas este é o primeiro em que um navio de guerra foi capaz de enviar forças para impedir um sequestro quando estava em andamento."


Dinamarca raramente divulga informações sobre as operações realizadas por suas forças de elite, mas o ataque do navio pode ter sido realizadas pelos Frogman corpo de elite, que faziam parte de um destacamento da OTAN.


Outras forças intervieram em situações envolvendo reféns de piratas, mas não durante o seqüestro em si.


Os detalhes sobre as nacionalidades dos membros da tripulação a bordo do Arielle e sua carga não foram divulgados.

Os piratas somalis apreenderam três navios neste ano e estão mantendo como reféns mais de 180 tripulantes e menbros de um total de nove navios.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

  • Comentário

    01

  • Poreduardo insano (sao paulo - SP)06/02/2010 - 19h25m

    esses miseraveis piratas do mar nao passam de um bando de bandidos que nao tem o que roubar na miseravel africa,apelam pelo roulo maritimo.o mais revoltoso e`que os navios de combates que intercepitam esses VAGABUNDOS,nao afundam esses barcos piratas!!!!!!!!!!!!!!!

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook