Sábado, 17 de Agosto de 2013

Página Inicial>Política & Economia

Entre mínimo e máximo

Prefiro ter um salário mínimo que progrida lentamente para um patamar justo, mas que seja garantido e sustentado pela nação"

Publicada: 17/02/2011 - 10h14m|Fonte: Carta Maior|Versão para impressão|

"... R$ 1.200,00 seria, minimamente, um salário mínimo compatível com o grau de desenvolvimento do país e abriria a possibilidade de as pessoas terem condições de vida com dignidade. Entretanto, não vejo nenhuma possibilidade de o salário mínimo ser reajustado prontamente para esse valor.

Essa é a razão pela qual considero que a política atual do salário mínimo, de aumento progressivo, é adequada por que viabiliza o salário mínimo no longo prazo e garante que a situação de justiça social seja conquistada num prazo razoável de tempo (NR: até 2015, vigora a fórmula que corrige o salário mínimo pela inflação do ano anterior acrescida da variação do PIB de dois anos atrás. Logo, em 2012, o piso salarial brasileiro será da ordem de R$ 616, um salto de 13%). Prefiro que essa seja uma perspectiva real do que apenas um sonho. O Brasil viveu, durante 60 anos, com o sonho de ter um salário mínimo justo e jamais conseguiu.

Neste exato momento, o país tem a possibilidade de, ao final da década, conquistar essa situação. Prefiro ter um salário mínimo que progrida lentamente para um patamar justo, mas que seja garantido e sustentado pela nação"


(Cláudio Dedecca - economista da Unicamp, via IHU)

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook