Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2013

Página Inicial>Mundo

Em meio à críticas, governo francês envia ciganos de volta à Romênia

Pelo menos 93 ciganos serão repatriados para a Romênia em dois vôos saindo de Paris e de Lyon nesta quinta-feira.

Publicada: 19/08/2010 - 09h48m|Versão para impressão|

  • Cigana se prepara para embarcar para a Romênia no primeiro voo de repatriamento partindo de Paris.
  • Cigana se prepara para embarcar para a Romênia no primeiro voo de repatriamento partindo de Paris.
    Foto: REUTERS
Cíntia Cardoso
A medida, que faz parte da nova política de desmantelamento de acampamentos ciganos e de nômades na França, enfrenta críticas da oposição e do próprio partido do governo. Este é o primeiro de uma série de voos que deverão repatriar 700 pessoas até o final do mês.

Pelo menos 93 ciganos serão repatriados para a Romênia em dois vôos saindo de Paris e de Lyon nesta quinta-feira. Segundo o ministro francês da Imigração, Eric Besson, eles aceitaram um plano de ajuda ao retorno voluntário, no qual cada adulto receberá de 300 euros e 100 euros serão dados aos menores de idade.

O desmantelamento de acampamentos ciganos no território francês é uma das prioridades atuais da política de segurança do presidente Nicolas Sarkozy. Mas a situação é delicada e enfrenta críticas da oposição, de membros do próprio partido do governo, o UMP, e da Comissão Europeia. Bruxelas, aliás, afirmou nesta quarta-feira que está acompanhando atentamente a polêmica repatriação de ciganos romenos e búlgaros e aconselhou o governo francês a respeitar as regras sobre a proteção dos cidadãos europeus.

Nesta quinta-feira o presidente romeno, Traian Basescu, defendeu a criação de um programa europeu de integração. De acordo com o chefe de Estado, a Comissão Europeia deveria ter apresentado o programa até abril de 2009, mas o tema não foi priorizado pelos países do bloco. O ministro do Interior francês, Brice Hortefeux, também pediu a implementação de programas "efetivos" de integração.

Até 2014, búlgaros e romenos estão sujeitos a um regime transitório de integração ao espaço europeu. Eles podem ficar até três meses na França sem nenhuma formalidade. Além desse prazo, têm que comprovar renda e cobertura médica.

Calcula-se que 15 mil ciganos vivem em situção irregular na França. No ano passado, 10 mil ciganos de origem romena e búlgara foram levados para seus países de origem. Mas o próprio governo reconhece que é difícil impedir que eles voltem para a França.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook