Sábado, 29 de Junho de 2013

Página Inicial>Mundo

Afeganistão e Paquistão lamentam a morte de Richard Holbrooke

A morte do emissário dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão deixa um vazio na política externa americana em um momento delicado.

Publicada: 14/12/2010 - 09h15m|Versão para impressão|

  • Richard Holbrooke, emissário dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão desde 2009.
  • Richard Holbrooke, emissário dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão desde 2009.
    Foto: Reuters
Após o anúncio da morte do diplomata norte-americano Richard Holbrooke nesta segunda-feira, os governos do Paquistão e do Afeganistão foram os primeiros a enviar mensagens lamentando a morte do emissário dos Estados Unidos para esses dois países. Holbrooke morreu aos 69 anos.


Em um comunicado, o presidente paquistânes, Asif Ali Zardari, disse que perdeu um amigo e afirmou que a melhor homenagem que pode ser feita ao diplomata é combater o extremismo e promover a paz na região.

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, considerou a morte de Holbrooke como uma perda para o povo norte-americano. O ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague, disse nesta terça-feira que Holbrooke “era um dos melhores e mais brilhantes” diplomatas da sua geração. Já osecretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen, destacou nesta terça-feira a "lendária determinação" de Richard Holbrooke.

A morte do emissário dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão deixa um vazio na política externa americana em um momento delicado da guerra contra os talibãs. Este ano foi o mais violento contra as forças estrangeiras no Afeganistão. Já são 692 o número de militares estrangeiros mortos no país desde o começo do ano.

Carreira

O influente diplomata norte-americano havia iniciado sua carreira nos anos 50 no Vietnã. Ele também foi embaixador dos Estados Unidos nas Nações Unidas e duas vezes secretário de Estado.

Em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou a morte do diplomata. Em um comunicado divulgado pela Casa Branca, Obama disse estar triste e afirmou que Holbrooke era uma "figura única", um "verdadeiro gigante da política externa norte-americana". O presidente Obama lembrou ainda a longa carreira de Richard Holbrooke, lembrando com destaque sua participação nas negociações para os acordos de Datyon, que puseram fim à guerra dos Balcãs, em 1995.

Obama também mencionou o que chamou de "progressos" realizados pelo diplomata no Afeganistão e Paquistão. Mas, em sua edição de hoje, o jornal “Washignton Post” afirma que Holbrooke havia um desejo antes de morrer: o de que a guerra no Afeganistão terminasse. Segundo o jornal, Holbrooke teria confessado o desejo a seu cirurgião paquistanês pouco antes de entrar na sala de operações.
Nesta quinta-feira, um relatório deve ser divulgado com as dificuldades e avanços da estratégia americana no Afeganistão.

Richard Hoolbrooke foi hospitalizado quando participava de uma reunião com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. Ele foi submetido a uma cirurgia na última sexta-feira para desobstrução da artéria aorta, a maior artéria que leva o sangue do coração para o corpo, e voltou a ser operado no último domingo.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook